Terça-feira, 28 de Abril de 2015

dark place

 

 

Escrevo-te com as mãos frágeis, de coração magoado e com olhos inchados de tanto chorar. Já não tenho forças para expressar o quanto eu me sinto. Confesso que me faltam as palavras e a esperança começar a desmoronar. Tudo dói. Cada fibra do meu corpo, cada lágrima, cada ínfimo de mim mesma encontra-se num estado de profunda instabilidade. Tu próprio receias este estado de pura agonia. Lamento mas não sei reagir de outra maneira. Já não consigo ser a mesma, já não consigo abraçar-te e obrigar a ficar a meu lado. A verdade é que te cansaste das minhas inseguranças (não te censuro por isso) e, talvez, esteja a ser demasiado egoísta a não te deixar partir. Nesta sequência, sinto-me descartável. Sinto que não sou tão imprescindível como julgava ser; no fundo, preciso que precises de mim, como eu preciso de ti. Tento consolar-me e repito vezes sem conta: "isto é só uma fase"... Mas, será só um fase? Será que a distância, tal conseguiu afastar-me dos teu braços, conseguiu afastar-te verdadeiramente de mim? 

 

publicado por InêsGonzalez às 21:52
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito (1)

profile follow me* TUMBLR

.Abril 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. dark place

. quero-te...

. simplesmente, tu...

. conselho do dia

. vintage

. photo :. 1 mês

. só nós é que exercemos co...

. um pedaço que faz parte d...

. pintar o céu

. profundezas do oceano